sábado, 5 de julho de 2008

Assunto Sério nº1

Uma novidade neste blog: pequenos posts sobre assuntos mais "sérios" do nosso dia a dia.
Este primeiro assunto sério passou-me pela cabeça quando me lembrei de um trabalho que fiz há muito tempo:

O Apartheid

A Wikipédia diz-nos que Apartheid ("vida separada") é uma palavra de origem africana, adoptada legalmente em 1948 na África do Sul para designar um regime segundo o qual os brancos detinham o poder e os povos restantes eram obrigados a viver separadamente, de acordo com regras que os impediam de ser verdadeiros cidadãos.

Ou seja, o Apartheid não era uma regra social, um pouco como algumas pessoas agem no dia-a-dia, afastando-se de indivíduos de outra cor simplesmente por serem de outra cor. O apartheid foi implementado como uma lei.

A partir da implementação desta lei, todos os indivíduos não-brancos foram excluídos do governo nacional, sendo proibidos de votar.

Grande parte dos empregos eram proibidos aos negros (digo negros porque, embora talvez existissem indivíduos de outra raça, grande parte da população não-branca era constituída por indivíduos de raça negra), bem como era proibido a um negro contratar um branco para trabalhar para si.

A população não-branca (cerca de 70%) foi afastada de tudo, excepto de uma pequena parte do país.

A terra que lhes foi concedida era pobre, sem capacidade de possibilitar recursos à população que dependia dela e as habitações destinadas a negros eram pobres e raramente tinham acesso a saneamento ou electricidade.

Todos os serviços (hospitais, cinemas, bibliotecas, transportes, etc) eram racialmente separados, existindo, por exemplo, hospitais para brancos e hospitais para negros, que raramente tinham condições. Todos os serviços destinados a negros eram muito piores do que os serviços destinados aos brancos.

Os comboios tinham carruagens separadas para negros e brancos. A maior parte das carruagens eram para brancos, que apenas tinham 1ª e 2ª classe. As carruagens de negros eram todas de 3ª classe, e iam, quase sempre, completamente cheias. Existiam autocarros para negros, que paravam apenas nas paragens designadas para negros.

O sexo inter-racial era proibido.

Policias negros não podiam prender brancos.

Negros não tinham autorização para comprar bebidas alcoólicas.

Um negro podia ser condenado à morte por violar uma rapariga branca, mas um branco que violasse uma negra pagava apenas uma multa, ou nem isso.

Restaurantes e hotéis nunca aceitavam negros, a não ser como funcionários.

Um branco que entrasse numa loja era atendido primeiro, mesmo se estivessem negros à sua frente na fila para pagar.

Um menino branco podia ser chamado "klein baas" (pequeno chefe), talvez com um sorriso amarelo, por um negro, mas mesmo um negro adulto era chamado de "criança" na sua cara, por brancos.



->Se quiserem saber mais, aconselho a visitar a página da wikipédia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Apartheid), ou pesquisem no Google.

O site contém muito mais coisas, principalmente as políticas por detrás da aprovação da lei do apartheid, a história, e como acabou. Eu apenas seleccionei uma pequena parte, de modo a apresentar a definição de apartheid e a vincar as diferenças entre brancos e negros que esta lei continha.

Nota: texto traduzido de brasileiro

1 comentário:

Eu disse...

acho bem preocupares-te com estes assuntos sérios.

é uma boa forma de tu e os leitores deste blog, incluindo eu, aprenderem mais sobre diversos temas do mundo actual (ou não)

beijo